Dicas: PRINCIPAIS DOENÇAS E SINTOMAS DAS AVES

Dicas

Peito seco ou caquexia: Maior reclamação do publico leigo, não é uma doença e sim um sintoma, a principal característica é o emagrecimento rápido e a observação do osso esterno, possui causas variadas como: deficiência nutricional, doenças bacterianas, fungicas, parasitárias ou virais. É extremamente importante o diagnóstico preciso da causa deste sintoma, para um tratamento eficaz.
Muda: É um estado fisiológico e cíclico das aves, ocorre perda do canto, diminuição do apetite e apatia. O período de muda varia por espécie e por individuo. Podem ocorrer falhas no período de muda, estas falhas podem ser corrigidas com suplementação adequada, as maiores falhas são: "muda encroada" (deficiência de iodo), "muda rala" (deficiência de vitaminas A, D, E e Cálcio), "muda constante" (deficiência de vitaminas e minerais).
Hipovitaminoses: Sempre associada à má nutrição. Uma das causas do "peito seco", penas sem viço e eriçadas. As aves na natureza se favorecem da diversidade dos alimentos, em cativeiro não há variações, por isso, a importância da suplementação permanente.
Pevide: Crosta que se forma na extremidade da língua, associada à Hipovitaminose em A e/ou Verminose. O pássaro abre e fecha o bico constantemente e tem dificuldade de se alimentar. Esta crosta pode ser removida fisicamente através de uma pinça por um Medico Veterinário.
Doenças Fúngicas: Comuns em criatórios úmidos, as aves emagrecem rapidamente, a contaminação se faz de forma acelerada, é de difícil diagnóstico e alta mortalidade. 
Rouquidão ou Singamose: Causada por um parasita chamado Syngamus Trachea, este parasita se instala na traquéia fazendo com que a ave ao emitir som pareça roca. Muitas vezes tratado de forma errônea como doença bacteriana.
Doenças respiratórias: Podem ser de origem bacteriana, fúngica ou viral. Evitar exposição das aves a ventilação direta, grandes alterações climáticas e fazer quarentena nos animais novos.
Doenças dermatológicas: Origem fúngica, bacteriana, viral ou parasitária. Na maioria dos casos, relacionadas à higiene de gaiolas.
Doenças Virais: Rápida contaminação, baixa mortalidade. Necessária a quarentena dos animais novos.
Intoxicações: Bem comuns na clinica veterinária, de várias origens, as mais comuns são por causa de agentes químicos (tinta de jornal, verniz de gaiola) e alimentar.
Fraturas: Comuns em contenções erradas e gaiolas com malhas impróprias para espécie.
Tumores: Rara ocorrência. Maior observação em exemplares frutos de cruzamentos consangüíneos.
Coccidiose: Causada por parasita protozoário do gênero Eimeria e do Gênero Isospora. A transmissão é feita através da ingestão da forma infectante, o oocisto.
Os sintomas mais comuns dependem do tipo de coccídia e sua localização no intestino dos pássaros, emagrecimento, caquexia (peito seco), despigmentação da pele, diarréia hemorrágica, depressão (ficam quietas, param de cantar), dor abdominal, respiração acelerada, fezes com muco, dificuldades no processo de muda, e diminuição reprodutiva considerável, alta mortalidade de filhotes. 
A prevenção deve ser feita, pois em grandes criações o risco é maior, e em viveiros grandes também, visto que a limpeza e a desinfecção é mais complicada. O ideal é a realização de exames preventivos, principalmente antes dos períodos de reproduç