Dicas: PRINCIPAIS DOENÇAS E SINTOMAS DAS AVES

Dicas

Peito seco ou caquexia: Maior reclamação do publico leigo, não é uma doença e sim um sintoma, a principal característica é o emagrecimento rápido e a observação do osso esterno, possui causas variadas como: deficiência nutricional, doenças bacterianas, fungicas, parasitárias ou virais. É extremamente importante o diagnóstico preciso da causa deste sintoma, para um tratamento eficaz.
Muda: É um estado fisiológico e cíclico das aves, ocorre perda do canto, diminuição do apetite e apatia. O período de muda varia por espécie e por individuo. Podem ocorrer falhas no período de muda, estas falhas podem ser corrigidas com suplementação adequada, as maiores falhas são: "muda encroada" (deficiência de iodo), "muda rala" (deficiência de vitaminas A, D, E e Cálcio), "muda constante" (deficiência de vitaminas e minerais).
Hipovitaminoses: Sempre associada à má nutrição. Uma das causas do "peito seco", penas sem viço e eriçadas. As aves na natureza se favorecem da diversidade dos alimentos, em cativeiro não há variações, por isso, a importância da suplementação permanente.
Pevide: Crosta que se forma na extremidade da língua, associada à Hipovitaminose em A e/ou Verminose. O pássaro abre e fecha o bico constantemente e tem dificuldade de se alimentar. Esta crosta pode ser removida fisicamente através de uma pinça por um Medico Veterinário.
Doenças Fúngicas: Comuns em criatórios úmidos, as aves emagrecem rapidamente, a contaminação se faz de forma acelerada, é de difícil diagnóstico e alta mortalidade. 
Rouquidão ou Singamose: Causada por um parasita chamado Syngamus Trachea, este parasita se instala na traquéia fazendo com que a ave ao emitir som pareça roca. Muitas vezes tratado de forma errônea como doença bacteriana.
Doenças respiratórias: Podem ser de origem bacteriana, fúngica ou viral. Evitar exposição das aves a ventilação direta, grandes alterações climáticas e fazer quarentena nos animais novos.
Doenças dermatológicas: Origem fúngica, bacteriana, viral ou parasitária. Na maioria dos casos, relacionadas à higiene de gaiolas.
Doenças Virais: Rápida contaminação, baixa mortalidade. Necessária a quarentena dos animais novos.
Intoxicações: Bem comuns na clinica veterinária, de várias origens, as mais comuns são por causa de agentes químicos (tinta de jornal, verniz de gaiola) e alimentar.
Fraturas: Comuns em contenções erradas e gaiolas com malhas impróprias para espécie.
Tumores: Rara ocorrência. Maior observação em exemplares frutos de cruzamentos consangüíneos.
Coccidiose: Causada por parasita protozoário do gênero Eimeri